HUMILDES DE ESPÍRITO

Semana de 04 a 10 de outubro de 2020

Leitura:  Mateus 5.1-3

O Sermão do Monte (Mateus capítulos 5 a 7) é um trecho muito especial dos evangelhos. Contudo alguns equívocos, ditos ao longo dos séculos, podem nos fazer perder essa riqueza. Um destes enganos afirma que os mandamentos de Jesus não foram direcionados à igreja, que está debaixo da graça, mas somente à Israel, que estava debaixo da Lei.

Outro equívoco é dizer que tais ensinos do Senhor incluem mandamentos tão difíceis de serem obedecidos que só conseguiremos cumprí-los quando estivermos vivendo em um novo corpo, no novo céu e na nova terra. Por isso, precisamos esclarecer e expor a verdade em Cristo, pedindo ao Espírito Santo nos ensine o mesmo que Jesus ministrou aos que o ouviram naquele dia.

Parafraseando Martyn Lloyd-Jones: “se a palavra de Jesus no sermão do monte não é para a Igreja, então a terra fica sem sal, o mundo fica sem luz, e nós ficamos sem Pai.” Mas Graças a Deus, encontramos tudo isso em nossa posição como discípulos.

É nosso direito e dever nos apegarmos a cada versículo deste Sermão. Jesus quer nos transformar com sua Palavra, mas para que isso aconteça, devemos nos assentar aos seus pés e ouvi-lo como aqueles que ele mesmo cita em sua primeira bem-aventurança: “Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus”. Em outras versões podemos achar a expressão “humildes de espírito”.

A primeira das bem-aventuranças ensinadas pelo Senhor Jesus é para aqueles que não têm nada além do próprio Senhor e que estão cientes dessa sua condição. Por isso são humildes. Não têm algo a preservar, nem algum feito que lhes gere soberba, mas têm motivos de sobra para serem gratos ao Senhor. Esta simples observação nos guia à conclusão de que a humildade de espírito é um pré-requisito para cumprirmos todo o restante do ensino do Sermão do Monte de forma agradável a Deus, afinal é aos humildes que Deus concede a Sua graça (Tiago 4.6).

A humildade de espírito é uma característica vital do caráter de um discípulo, pois um discípulo humilde é um discípulo que se arrepende, diferentemente do soberbo que não reconhece seus erros. Dessa maneira, logo no início, o Senhor nos ensina que, se quisermos possuir o Reino dos Céus, é necessário que sejamos humildes de espírito.

Jesus falou que a humildade verdadeira é no espírito, portanto, para que sejamos humildes necessitamos do quebrantamento de espírito, que é o caminho que nos leva à humildade. Esse quebrantamento é operado em nós quando deixamos que Deus trabalhe nas nossas vidas, muitas vezes por meio de situações de sofrimento, que não somos capazes de resolver ou entender, e que nos levam a nos oferecermos integralmente a Deus, apesar das provações e tribulações que nos cercam.

A humildade segundo Deus é impossível para o homem natural, mas para nós que estamos em Cristo é perfeitamente possível, desde que deixemos a vida de Cristo ser gerada em nós.

Faça download do card e compartilhe.